Noticias do GNV

Tailândia

O gabinete aprovou uma medida pela qual se reduzirão os impostos para veículos movidos a metano, com uma capacidade não maior de 10 passageiros. O custo das unidades não deve superar os 50.000 bath e a norma terá efeito por dois anos e seis meses.
As empresas automotoras solicitaram que o benefício se estenda pelo menos por três anos, já que necessitam desse tempo para ordenar equipamento relativo ao funcionamento a metano.

O governo acredita que esta medida incentivará substâncialmente o uso do gás veicular e permitirá que se alcance meio milhão de veículos metanizados nos próximos cinco anos.


Paquistão

Segundo estatísticas do Instituto de Desenvolvimento de Hidrocarbonetos do Paquistão, o país chegou um milhão de unidades a metano. Desta maneira, só a Argentina e o Brasil superam a potência asiática com 1.117.000 e quase 1.428.000, respectivamente.

Mesmo assim, os postos de abastecimento acompanham este crescimento. Já existem 930 no país e antes do final do ano serão abertos outros 200. Os dados recolhidos sobre as conversões se baseiam em estimativas de vendas de kits de conversão e cilindros e os referentes aos centros de abastecimento em certificados de aprovação outorgados pela autoridade regularizadora de gás e petróleo.

As conversões estão se produzindo a uma veloz taxa de 40.000 por mês e se inaugura uma média de um posto de abastecimento por dia. Segundo manifestaram especialistas locais, este auge do metano impulsionando ainda mais pelos altos preços dos derivados do petróleo.


O condado de Orange Metaniza o seu Sistema de Transportes

O ministério de Transportes de Orange, Califórnia, aprovou o investimento de 106 milhões de dólares para a compra de veículos a GNV.

Já foram solicitados 250 veículos e outros 50 haviam sido pedidos no ano passado. Além do cuidado pelo meio ambiente, uma das razões que motivou a compra foi uma possível escassez de gasolina, devido aos seus elevados preços.

De 2006 até 2009 o sistema de transporte de Orange irá renovar os seus autocarros, substituindo os antigos veículos a diesel por novos a gás veicular.


Multiplicam-se as Conversões e os Centros de Abastecimento

O ministro de Minas e Energia sintetizou claramente os rumos energéticos que tenta tomar a Colômbia: “Não sigamos consumindo mais do que menos temos, se isto significa que o preço da gasolina que devemos pagar no nosso país é mais alto que o do resto dos países do continente”.

O governo colombiano está disposto a manter as altas nos valores da gasolina, até converte-la na mais cara do continente. O objectivo fundamental desta política é estimular o uso do gás natural.

Neste sentido, a empresa Gás Natural Comprimido (GNC), por motivo da inauguração do seu posto número 100 no país; anunciou um plano que se propõe acelerar o plano de expansão dos seus pontos de abastecimento, para o que investirá 20 milhões de dólares este ano.

Com estes recursos prepara-se a construção de 40 novos postos, os quais junto com os da empresa Gás Natural, que este ano colocará em funcionamento outras 60, proporcionará um grande crescimento do sector. Actualmente na Colômbia existem 150 postos e com estas iniciativas se chegaria aos 250 pontos.


O Gás Veicular é Muito mais Vantajoso

De acordo com proprietários de oficinas de montagem, os utilizadores continuam a preferir o gás veicular já que com o mesmo investimento é possível cobrir maiores distâncias.

Por exemplo com um abastecimento de gasolina equivalente a 30 reais um veículo pode percorrer 118 km, enquanto que com gás veicular pode percorrer 285 km.

Por isso, especialmente os condutores que percorrem grandes distâncias obtêm grandes benefícios ao transformar o seu veículo. Desta maneira, a amortização do kit de conversão acontece em poucos meses.


Argentina

Entre 2001 e 2006, o programa “Primeira Exportação” formou na Argentina responsáveis de 11.400 empresas. A iniciativa é incentivada pela Fundação Gás Natural e Gás Natural BAN, filial da empresa na Argentina; e tem como objectivo proporcionar assessoria gratuita e especializado em comércio exterior a pequenas e médias empresas argentinas para que disponham das ferramentas necessárias para iniciar a sua actividade exportadora.

O programa inclui, também, informação através de ciclos de jornadas e conferências sobre comércio exterior e gestão do meio ambiente.

Como consequência deste projecto se constituiu a Argnc; o primeiro consórcio de exportação de empresas do sector de Gás Natural Comprimido (GNC) de Argentina e a Animalex, um grupo de empresas fabricantes de acessórios para mascotes.
Recentemente, dez empresários argentinos viajaram a Barcelona (Espanha) para receber um curso sobre marketing e negócios internacionais organizado pela Fundação Gás Natural com o Instituto de Educação Continua da Universidade Pompeu Fabra (UPF).

Os participantes, proprietários, executivos e representantes de pequenas e médias empresas , quase todos do sector industrial, se reunirão esta semana com empresários da Catalúnha para tratar de comercializar os seus produtos na Espanha e Europa.

0 Likes
374 Visualizações

Também pode estar interessado em :

Deixe um Comentário

Please enter your name. Please enter an valid email address. Please enter message.